Seguidores

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Carta 11 - O Chicote e a Vassoura

 
 A carta 11, a carta da magia do baralho cigano, o nosso Lenormand, é, para mim, um arcano fascinante. Entendam bem, rsrsr, todos os 36 também o são, mas acho que o fascínio que tenho pela carta 11 vem do fato de ter observado, nos anos de estudo e pesquisa, que ela muitas vezes tem a sua riqueza pouco explorada. Interessante também, foi notar que, para um grande número de pessoas, apesar de ser carta neutra, ela acaba ganhando uma conotação um tanto negativa, sendo muitas vezes tratada como um alerta para que se tenha cautela, em determinado aspecto, ou com determinada pessoa. Frequentemente fui perguntada, quando essa carta aparecia no jogo, se havia "algum trabalho feito", alguma magia ruim pairando sobre aquela pessoa, o que realmente pode acontecer...mas, por que colocar à frente de uma carta neutra, um aspecto negativo?
Por que isso? Penso que por muitas razões, algumas das quais passo a citar:

- Aquilo que visualmente nos é mostrado: Um chicote, ou um chicote e uma vassoura, ou até uma cena auto flagelo... Parece assustador, não?
- Uma ideia arraigada, em nossas mentes, que nos leva a associar poder à dominação, como se o exercício do poder não pudesse ser uma coisa benéfica.
- O preconceito que se tem contra o ato mágico, que amedronta e faz pensar em malefícios, "trabalhos feitos", dominação e interferência na vida de terceiros... Coisas que, de fato,  são aspectos negativos do uso da magia ou poder, mas que estão longe de serem os únicos, ou os mais importantes.
- A associação de vassoura com bruxaria e bruxaria com perigo e maldade. É impressionante que, ainda hoje, em 2012, os bruxos ainda sejam vistos como pessoas que atuam pelas vias do mal. É claro que há bruxos, magos, que são perigosos e exercem sua arte sem qualquer ética! Mas o mesmo se pode dizer da pessoa que acende uma vela, aos pés de um santo, pedindo que alguém se apaixone por ela... isso como exemplo. Não importa, aqui, a sofisticação do ato, mas o ato em si.
Interessante também é notar que, a primeira, e mais importante, função da vassoura seja quase sempre esquecida, ao se lidar com essa carta. A vassoura varre! A vassoura limpa, a vassoura espanta os insetos indesejáveis... A vassoura protege!
- E talvez, a razão principal: Nossa resistência em aceitar nossa responsabilidade dentro de determinadas situações, ou em perceber que momentos difíceis (assim como os alegres) são próprios da vida e que, embora tenhamos liberdade de escolha, não temos domínio sobre todas as forças que interagem, ou sobre a escolha dos outros. Essa é uma realidade difícil de se aceitar! Então, em vez de percebermos a magia, como um meio de interagirmos com "o mundo" a nosso favor, ou a favor de terceiros, preferimos pensar que aquele fato doloroso aconteceu porque outrem usou magia contra nós, e não porque tivemos algum grau de participação, ou de omissão, durante o desenrolar dos acontecimentos. Mais assustador, ainda, é quando o fato nos chega sem qualquer participação nossa... Essa impotência diante de algumas coisas é terrível para a maioria de nós. Melhor pensar que "foi coisa mandada", do que aceitar que nossa humanidade não vem com o dom da onipotência. Ou seja, a mão que usou a "foice" que cortou, ou o veneno que contaminou algo, não foi a nossa, mas de alguém que nos quer mal.

Muitos acreditam no conceito de Carma, ou Karma, que implica na crença em reencarnações. Para os que creem, a aceitação de fatos dolorosos, ou trágicos, é mais tranquila, embora nem sempre menos dolorosa... Nosso Lenormand fala sobre karma em diversas situações. Cabe a nós, e ao consulente, aceitarmos, ou não, essa interpretação, ou preferir ver  "aquilo" que se diz sobre Karma, como uma consequência de ações realizadas nessa vida, e não em outras.
Nada disso, no entanto, muda o fato de que muitas vezes preferimos entender que a magia, o poder, foi usado contra nós, em vez de ver na carta 11, um convite enfático para que usemos nossa força, nosso poder, nossas palavras, nosso chicote a nosso favor!

A carta 11, por si só, não julga positiva ou negativamente, uma situação, apenas mostra que naquela situação há, ou haverá, um embate de forças. Esse enfrentamento pode ser positivo ou negativo, dependendo das cartas que estejam próximas, da pergunta, e da posição no jogo...Como, aliás acontece com qualquer outra carta, principalmente as neutras, que não carregam em si, a priori, um potencial positivo, ou negativo.

Descrição:  Na maioria dos decks vemos um chicote e uma vassoura, que se cruzam, indicando, que embora diferentes, suas ações se relacionam.
Em outros decks, temos apenas o chicote. E, ainda, há um baralho que traz a figura de alguém se auto flagelando. Recentemente encontrei na internet um deck que representa a carta 11 como uma espada e uma coroa de espinhos...Imagino que, a espada (elemento ar) corresponda ao chicote, como instrumento de poder, e a coroa de espinhos lembre a dor provocada pelas palavras e violências que podem estar implícitas nesse arcano. Eu, particularmente, acho essa visão um tanto reducionista!

                                                    
                                                    


Significado: Tanto o chicote, quanto a vassoura, indicam que essa é uma carta de ação! O chicote pode ser usado para comandar, para "ensinar", para ferir e para mostrar "quem é que manda".
A vassoura é usada, com já vimos, para limpar, e/ou banir de algum lugar o que é indesejado.

Então numa primeira leitura, temos uma carta que nos fala de imposição de vontade e proteção de território! Fica, assim, clara a relação com a Magia! Afinal, o ato mágico pretende comandar para obter algum resultado. Para todo mago, banir (vassoura) de seu território o que não é desejável, é de primordial importância para o bom resultado de suas obras.
De um modo, ou de outro, somos todos magos, já que todos nós usamos, ou deveríamos, nossos instrumentos e nossa força para conseguir vitórias e bons resultados. Todos nós, em maior ou menor grau, entendemos a importância de manter o corpo e a mente claros e limpos antes de partir para a batalha :) Todos nós sabemos que, para conseguir algum resultado, devemos "tirar as teias de aranha", das situações, para  vê-las com mais clareza, e assim agir eficazmente.
O chicote nos lembra que a disciplina é necessária para o domínio de nossas qualidades.
A vassoura nos fala da necessidade de banir, ou varrer para longe, aquilo que não queremos.

Para ficar mais clara a relação entre a carta 11 e a magia, coloco aqui algumas definições pinçadas de um post da minha querida amiga, Socorro van Aerts, numa página do facebook: "Convençao: Rua da fonte das bruxas" ;)

- “Magia é a aplicação da vontade humana, dinamizada, à evolução rápida das forças vivas da natureza.”
Papus – Tratado Elementar de Magia Prática
- “Magia é a ciência e a arte de causar mudanças de acordo com a vontade.”
Aleister Crowley
- “Magia é a ciência e a arte de usar os poderes invisíveis para produzir fenômenos visíveis.”
H.P.Blavatsky

Se analisarmos, veremos que de uma forma direta, ou indireta, todas as definições falam de :
- vontade
- poderes
- produção de resultado

Tudo isso tem relação com a magia, tanto quanto tem relação com o uso de nosso potencial para obtenção daquilo que queremos. Assim, de uma certa forma, podemos ver que a magia, como já foi dito, existe em todo lugar, embora as chamadas "artes mágicas" digam respeito ao estudo e aplicação de poderes, que não estão necessariamente em nós mesmos...É nossa vontade agindo sobre forças internas, e externas a nós, para obter resultados de Luz ou escuridão.
 


                             
                                                                      

                                                                                                                             

Essa não é uma carta "moral". Não diz como usar os instrumentos... Isso é de responsabilidade de quem os maneja. Aproveito para dizer, que como cartomante, nunca achei que meu papel fosse julgar. Aliás, como profissional e como ser humano, nunca achei que me cabia o direito de julgar o próximo. Posso, é claro, e devo ter uma opinião sobre atos, e acontecimentos, vendo-os como benéficos ou prejudiciais. Julgamos os atos, mas não nos cabe julgar o autor, ao menos do meu ponto de vista! Aproveito para dizer que a carta 11, reforçou essa maneira de pensar ao recordar-nos que o instrumento não é bom ou mau...Isto é da responsabilidade de quem o usa. Posso ver o resultado do ato, mas não posso ver o "coração" de quem o praticou.
O chicote, simbolicamente, nos fala de comando e não, necessariamente, de abomináveis castigos físicos ou morais. Fala, sim, da necessidade de manter nossas ações subordinadas à nossa vontade, lembrando-nos de nossa responsabilidade ao usar nossos instrumentos pessoais, físicos, mentais ou espirituais.
A vassoura, por sua vez, simboliza o incenso nosso de cada dia rsrsr; o banho higiênico, e ritual; a meditação que mantém nossa mente livre de poluição; e a necessidade de vigiar nosso território (corpo e ambiente) para expulsarmos, pronta e rigidamente, aquilo que não seja favorável ao nosso crescimento.

O deck que retrata um homem se auto flagelando (ver acima), parece querer simbolizar a necessidade de colocar sob o poder de nossa vontade, nossos vícios, fraquezas, qualidades e dons para alcançarmos nossos propósitos.

À parte do que já dissemos, o que mais pode ser sugerido pela carta 11?

Um dos maiores instrumentos de poder, de domínio, de convencimento é a palavra!
Não há magia (em qualquer nível) que possa ocorrer sem que o nosso querer seja expressado claramente. Isso equivale dizer, que a palavra falada ou escrita, é fundamental para que nos coloquemos, claramente, diante de alguém, de um fato, ou em um ritual. A palavra, é outra coisa que é simbolizada pelo chicote.
Essa carta também nos lembra a incrível importância de nos resguardarmos, para que da nossa boca não saia nada contra nós mesmos e, idealmente, nada que possa prejudicar o outro.
A palavra cria, exalta, convence, vence, humilha, derrota ou arrasa! Sendo outro instrumento que pode ser usado para o bem ou o mal.
                                                                     Martin Luther King, em seu belo discurso: Eu tenho um sonho!

 Hitler usando o poder da palavra para iniciar iniciar uma guerra que terminaria no holocausto de milhares de Judeus, Ciganos e outras minorias.

A estreita, e importantíssima, ligação dessa carta com a palavra, também a coloca como uma possibilidade de discussões, brigas, domínio pela inteligência ou pela violência e, também, de jogos de poder entre pessoas.
                                                                                      


 Do que mais poderá falar o chicote? Enquanto instrução nos alerta para que usemos nossos mais poderosos e eficazes recursos, numa situação, ou nos avisa que está na hora de usarmos a disciplina e a vontade para fortalecer o que, em nós, haja de mais criativo e poderoso em expressão.  Isso não se refere apenas ao uso da linguagem falada ou escrita, mas também ao uso de qualquer linguagem que tenha a capacidade de promover mudanças.
Afinal, não é absolutamente mágica a expressão artística? Alguns creem que a arte é uma arma poderosa, pelo simples fato de espalhar beleza, e promover o prazer. Sem falar das ideias que possam estar inseridas nas obras... Basta lembrarmo-nos da energia poderosa que se espalha pelo nosso ser, ao entrarmos em contato com a arte. Ou, indo de um polo a outro, lembrarmo-nos de quantos regimes de força, totalitários, proibiram e censuraram livros, peças de teatro, pinturas, músicas...

   Quem poderá dizer que a voz da Callas não desce sobre nossos corações, como mágica? Ou que ela não teve muita disciplina para levar seu instrumento ao máximo de sua capacidade?                                                       

 E o grande Villa-Lobos, não nos encantou ao usar sua batuta mágica para levar sua obra genial a tantos ?

 
 Eles, como tantos outros geniais fazedores de magia, com certeza usaram, e muito, as lições do arcano 11!
Além da linguagem artística, há o discurso dos sábios... aqueles que fundaram escolas de pensamento e religiões!
Qualquer que seja nossa crença religiosa, ou até nossa descrença, é inquestionável a força do amor, pregada por Cristo, a beleza dos versos de Salomão, sabedoria do Caminho do Meio ensinado por Siddhārtha Gautama, as lições de humildade de Chico Xavier, o conhecimento gnóstico contido na obra de Dante Alighieri, entre tantos, e tantos outros!
Para muitos de nós, os conselhos sábios dos nossos guias, protetores, e dos Mestres Ciganos, são exemplos de linguagem poderosa!
Mas...
Por outro lado, o mau uso do Chicote, leva ao sofrimento, à dor, à escravidão...
Finalmente, não posso deixar de dizer que, para mim, o uso do baralho cigano é um ótimo exemplo do que nos fala a carta 11! Afinal, o Lenormand é um instrumento mágico poderoso!

NO PRÓXIMO POST: A carta 11 no jogo.

Obrigada todos que vieram!
Deixem seus comentários ou perguntas.
Até amanhã!

Que nossos guias e protetores estejam sempre ao nosso lado defendendo-nos em nossas batalhas!

                            


6 comentários:

  1. Esse post foi uma aula de vida!!! Digo isso, pq temos em nós o poder da magia (como vc o disse tão bem!), e saber fazer um bom uso de poder, é sem dúvida, importantíssimo para a nossa caminhada! Obrigada e parabéns por mais um post brilhante!
    Bjsss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cecília,
      Sou eu quem tem que agradecer sua querida presença por aqui:)
      Você sempre me deixa feliz com seus comentários.
      Que Santa Sara sempre esteja com você!
      Obrigada, querida!
      bjs

      Excluir
  2. Oi!! Parabéns pelo blog e por seu trabalho, descobri hoje seu cantinho e adorei, também ando estudando o baralho cigano e é semrpe bom descobrir outras fontes de informação.
    Bjos***

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria,
      Que bom que você chegou!!! :)
      Sinta-se à vontade para comentar e dar sugestões, viu?
      Obrigada pelo carinho, Ciganinha Maria ;)
      Que Santa Sara a ajude a ver além das aparências e a caminhar! Que os ventos lhe sejam sempre favoráveis!
      Bjs

      Excluir
  3. sim, concordo plenamento com tudo o que disse sobre o arcano o chicote e infelizmente vivemos em um mundo aonde marte, plut'ao , saturno, aries e outras forcas espirituais tenderao a sempre tentar dominar pela forca e assim , as vezes, teremos tambem que mostrar o chicote para elas e nao permitir dominacao alguma por parte de nenhuma forca espiritual.
    JEAN O VIDENTE.

    ResponderExcluir
  4. No casa da carta chicote +criança+urso o q quer dizer?

    ResponderExcluir